Você está aqui: Home Uncategorised A verdade sobre os adoçantes

Terapias Personalizadas

Pensando em sua necessidade e disponibilidade de tempo, oferecemos terapias com duração de 1 ou mais dias. Esta programação tem como proposta aliviar seu estresse e cansaço, promover seu bem estar e revitalizar suas energias.

A verdade sobre os adoçantes

adocante-Muitas pessoas buscam adoçantes para driblar os malefícios do açúcar, pensando em reduzir o consumo de calorias e favorecer o emagrecimento. Adoçantes ou edulcorantes são substancias de baixo ou inexistente valor calórico que conferem ao alimento o gosto doce. Eles possuem alta capacidade de adoçar e são, geralmente, dezenas ou centenas de vezes mais doces do que o açúcar. Os edulcorantes podem ser naturais – como a frutose e sorbitol – ou sintéticos – como a sacarina e o ciclamato.
De maneira geral, os adoçantes são vistos como benéficos por ajudar a reduzir o consumo de açúcar e calorias. Porém você sabia que consumir adoçantes de baixa caloria ou sem calorias pode levar ao ganho de peso? Por mais contraditório que isso pareça esse efeito ocorre porque os usuários de edulcorantes tendem a comer mais do que aqueles que não usam edulcorantes. Pesquisas indicam que os edulcorantes também podem aumentar o apetite, pois o gosto doce cria um desejo de calorias adicionais.
Esse efeito foi confirmado em estudos clínicos com pessoas que usavam refrigerantes com açúcar e passaram a consumos os dietéticos. Após serem acompanhadas por algumas semanas, os pesquisadores perceberam que essas pessoas não reduziram o peso corporal com a troca do refrigerante “normal” pelo “diet”. Além disso, substituir o açúcar pelo adoçante não torna o refrigerante uma bebida saudável, já que todos os outros malefícios continuam presentes.
Os edulcorantes artificiais têm sido associados a uma série de efeitos adversos, incluindo distúrbios do humor, dor e parto prematuro. Eles também podem alterar as populações de bactérias intestinais, que podem afetar a resposta ao açúcar no sangue e aumentar o risco de diabetes. A alteração dessas populações bacterinas da microbiota intestinal (antigamente chamada de flora) também pode ter implicações em condições relacionadas com intestino, como doença inflamatória intestinal, colite ulcerativa e doenças de Crohn.
A estévia, extraída de uma planta, tornou-se cada vez mais populares e é hoje amplamente utilizada. Há algumas preocupações com o risco de ela causar mutações genéticas em níveis elevados. Seu consumo, portanto, deveria ser feito com moderação.
O açúcar das tâmaras (que é simplesmente tâmaras em pó) e o melaço de cana são escolhas de edulcorantes relativamente saudáveis. Mas cuidado! Todos devem ser consumidos com moderação.
Precisamos reeducar nosso paladar e sentir satisfação com quantidades menores de açúcar. Para quem desejar reduzir o consumo dos doces, uma alternativa é comer frutas. A fruta contém um açúcar natural, a frutose. Embora os efeitos adversos da adição de açúcar e frutose tenham suscitado preocupações, estudos demonstram que, se os frutos são consumidos inteiros, não há motivo para se preocupar com a frutose.

Fonte: Vida e Saúde


Ação Evangelizadora


Ação Pastoral

  • Pastoral Carcerária, da Saúde, Paroquial, da Terra, da Juventude, Diocesana e DST-AIDS
  • Áreas de atuação: indígenas, mulheres em situação de risco, catequese, liturgia e comunicação

Saúde

Unidades Sociais / Projetos Sociais

  • Tecendo a Vida - Belo Horizonte - MG
  • Educandário Sagrada Família - São Paulo - SP
  • Casa da Sagrada Família - Campos do Jordão - SP
  • Lar dos Velhinhos - Maringá - PR
  • Lar Nossa Senhora Aparecida - Santuário Nacional
  •  Lar São Vicente de Paulo - Itaberá - SP
  • Asilo São Roque - Diamantino - MT
  • Casa do Peregrino - Itajaí - SC
  • Orfanato São Roque - Moçambique
  • Escola Familiar Rural - Moçambique
  • Asilo Santa Bárbara - Argentina

Família CIIC